.

17 janeiro 2018

Relato de pr√°tica: O Grito, de Edvard Munch

Obras expostas em nossa Mostra Cultural
✎ Por Fernanda Fusco
No ano passado, nosso grupo de professores decidiu que cada bimestre seria norteado por um tema gerador: um deles, o do terceiro bimestre, foi artes. Apesar de j√° trabalhar com a linguagem ao longo de todo o ano, resolvi focar com a minha turma no estudo de obras de alguns artistas renomados de acordo com nossas necessidades e os temas que fossem surgindo. Uma dessas necessidades foi trabalhar com a identifica√ß√£o e express√£o de emo√ß√Ķes, j√° que, al√©m de expormos nossas produ√ß√Ķes realizadas ao longo do ano, tamb√©m apresentar√≠amos uma pe√ßa de teatro em nossa Mostra Cultural.

Logo lembrei da s√©rie de pinturas expressionistas O Grito, do noruegu√™s Edvard Munch, que traduz toda a sua ang√ļstia, desespero e frustra√ß√£o por conta de suas desilus√Ķes com a vida:

"Eu caminhava com dois amigos - o sol se p√īs, o c√©u tornou-se vermelho-sangue - eu ressenti como que um sopro de melancolia. Parei, apoiei-me no muro, mortalmente fatigado; sobre a cidade e do fiorde, de um azul quase negro, planavam nuvens de sangue e l√≠nguas de fogo: meus amigos continuaram seu caminho - eu fiquei no lugar, tremendo de ang√ļstia. Parecia-me escutar o grito imenso, infinito, da natureza." (MUNCH apud NAZ√ĀRIO, 1999, p. 151)

Separei a turma em grupos de quatro crian√ßas e entreguei para cada um deles uma c√≥pia impressa da obra. A proposta era que analisassem inicialmente, sem nenhuma interven√ß√£o minha, e depois expusessem suas impress√Ķes para os seus colegas. Estes momentos de infer√™ncias, na minha opini√£o, s√£o os mais divertidos! Surpreendentemente as crian√ßas se aproximam do significado da obra (embora ela carregue v√°rios para aquele que observa, √© claro), encontram detalhes que acabam passando batido para os adultos e muitas vezes desenvolvem hist√≥rias a partir do que observam!


Momento de aprecia√ß√£o e compartilhamento das impress√Ķes com os colegas
Algumas perguntas que nortearam a nossa apreciação foram: O que vocês estão vendo nesta obra? Quem é esse aqui no meio? O que vocês acham que ele está sentindo e por quê? Como é o cenário? O que vocês sentem ao observar esta obra?

"Eu acho que isso aqui √© por onde passa o trem..." 
"Pr√ī, esse aqui √© o fantasma!"
"Aí o céu ficou assim porque a bruxa passou e deixou tudo pegando fogo!"
"√Č porque o Sol est√° indo embora!"
"Acho que ele est√° com medo!"
"√Č muito assustador!
"Eduardo Mancha! √Č igual o nome do meu tio: Eduardo!"
Identificação das cores e reprodução da técnica de misturas para colorir o céu
Utilizando aquarela para pintar o lago
Ap√≥s contar um pouquinho a respeito da biografia do artista e suas motiva√ß√Ķes para compor O Grito, distribui para cada crian√ßa metade de uma folha de sulfite contendo os tra√ßos do cen√°rio. O objetivo nesta atividade era que observassem a mistura de cores do c√©u formada pelo artista, identificassem algumas delas e tentassem reproduzir esta t√©cnica com giz-de-cera. Depois que o c√©u estivesse pronto, poderiam colorir todo o resto da obra da forma que mais lhe agradassem e pintar o lago com aquarela.

Observa√ß√£o de express√Ķes faciais no espelho
Enquanto alguns conclu√≠am suas pinturas, passei espelhos para que as crian√ßas tentassem imitar a obra e observassem seus reflexos. Assim que estivessem satisfeitos com suas express√Ķes, tiramos fotos que seriam coladas no cen√°rio.

Obras finalizadas, com as molduras em papel colorido
Para finalizar, recortei tiras de papel colorido para formar as molduras das obras e expus em uma caixa de papelão forrada, no dia da Mostra Cultural. Foi muito gratificante observar as crianças apreciando as pinturas e fotos dos colegas, compartilhando com a família e ainda relembrando um pouco sobre o artista e a história da obra!

2 coment√°rios:

  1. Amei amei amei!
    Cheguei no seu blog atrav√©s do blog da Ninamore e como estou feliz de ter chegado at√© aqui! Tenho um blog pessoal em que trago muitas reflex√Ķes sobre a vida, sobre a rela√ß√Ķes entre as mulheres num mundo machista, sobre estilo de vida, auto cuidado e auto amor. E dentro disso, tamb√©m sou pedagoga e em breve professora da rede municipal do Rio de Janeiro! Conhecer voc√™ que tamb√©m √© professora e tem tamb√©m um ouro blog particular me faz acalmar o cora√ß√£o, quando penso em como conciliar a vida e interesse de uma pedagoga apaixonada pela blogosfera. Enfim, adorei sua atividade e apesar de trabalhar com o as s√©ries inciais, sou apaixonada tamb√©m pela Educa√ß√£o Infantil. A ideia da foto das crian√ßas remontado a obra original dO grito ficou incr√≠vel, acredito que eles tenham se divertido e aprendido muito!
    J√° favoritei aqui seu blog para retornar mais vezes e te segui pelo Instagram, to numa fase de ficar por peto de quem me inspira a ser uma profissional e uma pessoa melhor!
    Beijos!!
    www.vestidadeceu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá prof! Amei demais está proposta, vou realizar com meus alunos! Você mesma desenhou a ponte e o lago, ou é imagem imprimida?

    ResponderExcluir

imagem-logo